As Brincadeiras Sexuais Infantis São Libertadoras!

 em Amor, Sexo

Minhas queridas leitoras e leitores, semanalmente tenho escrito, aqui no Blogasmo, textos informativos e reflexivos sobre sexo e sexualidade da fase  adulta. Neste, escrevo sobre as  curiosidades das crianças e suas sensações corporais relacionadas a esse tema. Pois é, todas as crianças tem a energia da libido ativa desde que nascem, porém, muitas vezes são esquecidas e reprimidas. Claro, que nessa fase não existe desejo vinculado ao sexo, a sexualidade está relacionada com a excitação e sensações latentes e  não ao ato sexual, propriamente dito. São os  instintos sexuais, da primeira infância, que conduzem às descobertas desses impulsos. Nessa fase, a criança  se toca, se descobre, faz perguntas sobre essas novas sensações. Os adultos por não saberem lidar com a sua própria sexualidade têm dificuldades em  tratar com naturalidade   essa curiosidade  e  descobertas, muitas vezes reprimindo a espontaneidade e liberdade da criança.

Há mais de um século Freud revolucionou o ocidente com seus escritos sobre a sexualidade infantil, no livro publicado em 1905 – Os três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade, ele diz que a pulsão sexual está presente no ser humano desde o seu nascimento  e não a partir da puberdade como se pensava. A teoria freudiana sobre a sexualidade infantil causa um verdadeiro frenesi, principalmente para a  igreja e a sociedade médico científica da época, pautada em tabus e repressões.

As descobertas da criança sobre sua sexualidade tem início por volta  dos 2 a 3  anos de idade, quando as meninas descobrem que friccionando o clitóris e os meninos que manipulando o pênis  é acionada uma sensação gostosa de prazer e de  excitação. Esse é o início da  auto-exploração corporal da criança,  faz parte das suas descobertas como várias outras curiosidades que acontecem nessa fase. Por isso, é saudável  e deve ser vista pelos adultos (pai, mãe, professores) como algo natural, relacionado ao desenvolvimento infantil.

Ainda fazendo parte das descobertas a criança, entre 4 a 6 anos de idade, inicia sua  socialização com outras crianças. Explora as semelhanças e diferenças entre os  sexos,  dando  início às  brincadeiras e jogos sexuais infantis, as famosas brincadeiras de médico, brincadeira de pai e mãe, entre outras nomeações. Hoje, muitas vezes, substituídas pelos jogos eletrônicos dos celulares.

Devido às repressões sócio-culturais em torno da sexualidade, a maioria das pessoas ao chegar na vida adulta apagam da memória os jogos sexuais vividos na fase infantil, o que é uma pena! Essas brincadeiras de meninos com meninos, meninas com meninas  e meninos com meninas, são explorações e descobertas importantes para a construção da sexualidade. Se nesse período a criança é castigada e punida, levará culpas e medos para a  vida adulta, o que vem a prejudicar o desenvolvimento da saúde sexual. Esse é um momento muito lindo e rico para a vivência da liberdade de expressão das crianças, que com certeza se forem tratadas com naturalidade terão grandes chances de serem adultos criativos e libertos na sua expressão. Todas as brincadeiras infantis são ricas de significados, por isso são estruturantes à  formação do  adulto.

Muitas vezes, a falta de informação e as repressões sexuais dos pais, das  mães e dos educadores impedem de tratarem a vivência sexual de seus filhos e filhas como algo normal, que faz parte da natureza humana. A criança vive e fala de sua excitação com  muita naturalidade  e alegria, como uma  nova descoberta do seu corpo e do seu  prazer, algo que ela nunca havia experimentado. Essas experiências quando  acontecem e causam bem estar são  repetidas com naturalidade, faz parte da saúde corporal e mental do desenvolvimento humano. Por isso que quando a  fase sexual infantil é vivida sem repressões e tabus,  promove saúde  e qualidade de vida nas fases posteriores. Na pré adolescência essa excitação vai se  recolher sendo reativada com a chegada dos hormônios na puberdade. Se os jogos sexuais são realizados por crianças da  mesma faixa etária, de forma espontânea e sem culpas, essas descobertas e experiências serão ricas, saudáveis e farão parte das boas recordações vividas no período infantil, tornando-os   adultos livres e desencanados.

Brincadeiras sexuais relacionadas à infância  faz parte das descobertas das crianças e devem ser respeitadas e acolhidas. É importante tratar esse momento não vendo a criança como mini adultos e nem estimulando namoro infantil, isso não faz parte do imaginário da criança. As descobertas dessa energia corporal é apenas mais uma das vivências infantis.

Quando existe incômodo dos adultos com relação às descobertas sexuais das crianças, é importante que estes  percebam as dificuldades e repressões  sexuais pessoais. Nesses casos é importante procurar ajuda psicológica para serem orientados sobre o assunto.

É uma pena que os falsos moralismos  reprimam os jogos sexuais infantis e, que muitas pessoas reproduzam com  seus filhos e filhas esse mesmo padrão de comportamento arcaico/repressor, prejudicando o desenvolvimento sexual saudável.

…E você, será que recorda de alguma brincadeira sexual da sua infância? Escreve aqui nos comentários a sua opinião ou dúvidas a respeito desse assunto. Vou adorar se você mandar sugestão sobre algum tema do seu interesse.

Postagens Recentes